O Setor

acp

No Espírito Santo estão concentradas aproximadamente 800 indústrias, com 11 mil trabalhadores, sendo o pólo moveleiro de Linhares reconhecido hoje como um dos mais importantes Arranjos Produtivos do Estado, composto por aproximadamente 140 indústrias distribuídas em doze municípios e gerador de mais de 4.000 empregos diretos, além de um faturamento anual superior a R$ 500 milhões, sendo também considerado um dos principais polos moveleiros do Brasil, segundo a Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário – ABIMÓVEL.

Com uma base associativa sólida, o modelo de desenvolvimento do polo de Linhares já foi apresentado em conferências e eventos nacionais e internacionais como referência brasileira, demonstrando a capacidade de realização e de organização das empresas locais. Tamanha importância fez com que instituições públicas e privadas convergissem esforços na elaboração de projetos estruturais em prol do APL, que trouxeram resultados relevantes e projetaram o arranjo nacional e internacionalmente, como a GEOR, liderada pelo Sebrae a partir de 2005 e o Plano de Desenvolvimento Preliminar, que está em execução desde 2007.

Em 2010 os empresários do polo aceitaram um grande desafio, de realizar em Vitória uma feira de móveis de abrangência nacional, a Espírito Santo Móvel Show, que teve a participação de 80 expositores e 11.000 visitantes de diversos estados, incluindo definitivamente o Estado no calendário brasileiro de feiras do setor. A próxima edição já está pronta para 2014.

Novas ações direcionam o polo neste momento, com a chegada de novas indústrias moveleiras de grande parte e de novos elos que contribuem para o adensamento da cadeia produtiva, com destaque para a implantação de uma fábrica de MDF, principal matéria-prima utilizada pelas empresas, que contribuirá de forma decisiva para o aumento da competitividade do arranjo.

Neste sentido, o momento atual vivido pelo arranjo produtivo de móveis de Linhares remete a um horizonte de mais crescimento e desenvolvimento econômico em um futuro muito próximo, projetando ainda mais o setor no cenário industrial brasileiro e o tornando ainda mais relevante para a economia do Estado do Espírito Santo.

Voltar